sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Um scrap privado

Bookmark and Share

T******, espero que você pense em tudo que lhe disse nesses dias. Nenhum relacionamento sobrevive à dúvida, à desconfiança.

Também não sobrevive uma relação somente pelo sexo, pois um dia os corpos já não conseguem mais aquele desempenho da juventude. Além do mais, sempre se estará insatisfeit@ por faltar "algo mais" na cama e na vida.

Por último, a única coisa que pode resistir ao tempo e às mudanças bruscas é a amizade. Amizade que eu sinto demais por você. Amizade que eu não percebi o quão grande era antes.

Como você pode ver, meu texto está confuso demais. Minha cabeça deu um nó enorme aqui e eu já começo a falar de coisas avulsas. Bem, parece que eu ainda não aprendi a fazer uma redação decente rsrs. Mas deixe eu, então, desenvolver meu raciocínio.

O que na verdade eu quero te dizer é que eu deveria ter prestado mais atenção em ti e confiado mais em mim no 3º ano. Talvez se eu chegasse à conclusão de que eu não precisava provar nada a ninguém, que não era preciso passar pra Direito, ter meu rosto estampado nas paredes do Equipe e nos Outdoors da Baixada Fluminense pra saber que eu era capaz daquilo; se não tivesse demorado pra perceber o tão interessante, inteligente e belo que eu sou, passando a confiar mais em mim; se tivesse olhado ao meu redor e percebido que a cura para todas minhas frustrações se sentava justamente ao meu lado nas aulas do 3º ano... hoje, com certeza, eu seria uma pessoa realizada.

Demorei para crescer. Só hoje vejo tudo aquilo que perdi. Você foi a fim, ou melhor dizendo já se apaixonou, por mim; mas eu estava distante, tentando sobreviver a uma faculdade chatíssima em Botafogo e ao mesmo universo babaca do colégio, com a exceção de não ter mais ninguém para me defender, para me ajudar com as matérias, a me fazer rir e ouvir minhas lamúrias. Os amigos fizeram muita falta; você foi a que fez mais pra mim.

O tempo passou, descobri que tu terminara com G***** e pensei "é a minha chance!". E lá foi o tonto comprar pão, já arquitetando o dia, quando se depara com você e  ele de mãos dadas. Aquela cena foi uma das mais decepcionantes da minha vida. 2 dias depois, você me aparece com um perfil novo no orkut com seu novo namorado: "T** e F*". Decepcionante.

O que me deixou arrasado e amargurado desde meu niver até agora é você me declarar que era a fim de mim. Fez me relembrar de tudo que desperdicei e o tão infantil e infeliz que fui durante minha adolescência.

Porém, é preciso fazer algumas considerações. Sinceramente, acho que você ainda me vê além de seu melhor amigo. Todos que a veêm conversar comigo acham que você e eu somos enamorados: desde minhas irmãs até o motorista do C*****-C*****. Acho que nós, na condição de melhores amigos, merecemos uma estória mais bela do que esta, uma estória digna de causar inveja a Romeu e Julieta.

Relacionamentos baseados somente na paixão não duram; não são sólidos, são líquidos, mudam sempre de forma, até que escapam por completo de suas garrafas furadas. Daí, começa-se a achar que "ele não me ama", ou "ela deve estar me traindo" ou "ele só sabe mentir pra mim", "não posso confiar nele".

Já aqueles que possuem, além da paixão, um sentimento forte de amizade, de união, de companheirismo, confiança, são sólidos, muito mais difíceis de se dissolver, de perder sua forma inicial. Em outras palavras, são eternos até que a morte os separe ou os transporte para um outro plano. Aí já é outra estória...

Pois bem. Um namoro nosso com certeza daria certo. Você não se preocuparia de eu, às quintas, ir jogar sinuca com os amigos na Cantareira em Niterói, nem eu ficaria desesperado se você saísse com suas amigas para o shopping. Sabe por quê? Pois nós confiamos um no outro; cada um é fortaleza, abrigo para o outro (você não disse que eu sou o único homem, excetuando-se seu pai, em quem você confia?). Trocando em miúdos, nos amamos. Acabei de responder à pergunta mais tensa da minha existência.

Independente de você continuar com o F***** ou não, eu serei pra sempre seu melhor amigo. Independente de você sentir o mesmo por mim ou não, eu estarei sempre perto pra te ajudar; basta você gritar meu nome e eu aparecerei pra te salvar de qualquer vilão.

Não quero ser melancólico, constantemente triste. Eu te amo e quero ser feliz contigo; quero namorar com você. Mas, se eu estiver confuso, se você não sentir mais aquilo que sentia no fim do 3º ano por mim... tudo bem, não entrarei em depressão. A vida segue em frente; não podemos ficar pra trás.

De qualquer jeito, obrigado por mostrar que minhas qualidades se sobressaem sobre meus defeitos.  Obrigado por me ensinar o que é de verdade o amor. /bjsmeliga

Com um coração renovado e com muito carinho, 
seu melhor amigo, 
Diego.


4 comentários:

Daniel Simon disse...

Que bonitinho!

Espero que o final seja feliz

Adriana Rodrigues Torres disse...

Ai que delícia ler tua carta.Bom saber que um rapaz tão jovem, já entende bem o que significa AMOR...Que estória mais apaixonada...Que Romeu e Julieta que nada...rs...
--->Melhor amiga dele:AGARRA ESSE GAROTO!!!
Espero que ela largue qq um que seja,pra ficar com vc!!!

To de olho no desenrolar da estória...rsrsrs.

Aninha disse...

Hello!!!
Qnt tempo...
Estou reativando meu blog, depois passa por la
Bjs

Anônimo disse...

Legal a sua sinceridade. Teve final feliz?