domingo, 5 de julho de 2009

Dia da cidadania - 1ª parte

- Martinha, que horas são?
- São 9 horas, ainda. Pode dormir!
- Beleza.
Daqui a pouco, vem o meu pai:
- Filho, 10 horas! Levanta dessa cama que você ainda tem que tomar banho e café!
- Falou, pai...
Levanto da cama e preparo meu café. Pão com presunto e queijo. Após isso, tomo meu banho quente. Com a roupa pronta e os documentos separados, desabafei:
- Porra, pai, não me sinto bem em fazer isso.
- Filho, para com isso! Você tem que aproveitar que seu tio tem influência lá e...
- Mas, pai, eu deveria ficar na fila como todos os outros!
- Garoto, você deveria ter acordado lá pras 4 da manhã pra estar na porta da junta militar e sair a tempo pra prova de Direito Constitucional. Agora você vai dar uma de moralista e perder sua prova de novo? É isso que você quer?
Silêncio. Uma mosca está em cima do queijo. Ele finaliza :
- Meu filho, você ainda tem muita coisa pra aprender nessa vida!


Chateado, me despedi do paizão e fui pra casa do meu tio. Ex-militar e, hoje, político, meu tio tem bastante influência na política da cidade. Com ela, ele iria me fazer o favor de me apresentar na Junta Militar sem alguma burocracia. Eu teria ido com meu amigo sem nenhum problema, ao invés disso, mas ele nem falou nada. Pedi pro meu tio também ajudar ele, mas meu tio rejeitou.
Quando cheguei no prédio, o elevador estava lá me esperando pra subir. Nem acreditei, pois aquele elevador é tão FDP que nunca coopera comigo. Toda vez que eu o chamo, o babaca sobe até o último andar e desce como uma pluma. Quando a porta abre, não há ninguém nele. É revoltante mesmo, você já deve ter passado por isso. Deve ser meu dia.
Chegando no apartamento, encontrei sua secretária, a Mary, fazendo o almoço. Ela fica sempre atenta no que faz.
- Ai, meu Deus, me perdoa, mas esses bandidos tem que tudo ir pro inferno...
- Oi, Mary, tudo bem? Essa comida tá cheirosa, hein?
Parecendo sair de um transe, ela diz:
- Ai, filho, que susto!
- Tá com o nome sujo na praça?
- Não, seu bobo, eu tava vendo o Wander Gomes!
- Ah, sim, aquele fascista...
- Ahn?!
- Ah, deixa pra lá, Mary! Onde tá meu tio?
- Ele foi no mercado e já volta, . Senta aí no sofá, enquanto ele não vem.
- Vou ficar na varanda, então. Tá quente hoje, hein?
- É mesmo.A panela grita já algum tempo, sendo abafada pelos berros do apresentador. Mary foca sua atenção no fogão – e na TV. Vou pra varanda.
Adoro a varanda do meu tio. As cadeiras são muito confortáveis. Além disso, tem o passarinho engaiolado dele, que canta muito bem. A gente canta bem melhor quando está melancólico do que “feliz”. É porque ficamos mais sinceros. Coisa de bicho mesmo.

*********************************************
Continua...

2a parte



Bookmark and Share

4 comentários:

Aninha disse...

Aguardo o dsfecho desse texto! Bom começo...

Gostei do novo visu daki! EU to meio sem tempo, mas assim que der eu artualizo o seu bannner ok?

(eu n sei fazer banner!)

Bjks

Joy disse...

tem selo pra vc no meu blog

Joy disse...

Wow!! Comecei a ler hj.. esses dias atrás tava me dando preguiça!!!
Se foi vc que escreveu isso: Parabéns!! É legal isso de não detalhar muito mas fazer referência à detalhes irrelevantes, tipo uma mosca em cima do queijo!! Deixa eu continuar lendo..

Diego Azevedo Sodré disse...

Sim, fui eu quem fiz ;D